segunda-feira, 2 de julho de 2007

A primeira peça - "As Quatro Estações", de Romeu Correia


“A celebração desta data histórica que são os 150 Anos da Incrível Almadense, teve o condão de mobilizar vontades e disponibilizar meios, com o objectivo de reactivar a sua secção de Teatro com tradições tão exemplares como antigas, no mundo do espectáculo.

Foi particularmente grato, para mim, ter sido convidado para dirigir este sonho que renasce; assistir ao empenhamento de velhos actores e à iniciação dos mais jovens, apesar das contingências conhecidas que rodeiam, sempre, um grupo de teatro feito por amadores.

Mas, o amador é sobretudo aquele que cumpre e desempenha com amor o seu papel no palco, nas horas que faz sobrar às outras horas duras da vida, quantas vezes com sacrifícios incalculáveis. Essa dificuldade, as limitações económicas, os espaços partilhados por outras actividades e tantos outros obstáculos, constituem o santo e a senha do teatro não profissional, mas jamais poderão servir de desculpa para a desistência, pois o teatro também é, nestas circunstâncias, luta, sementeira e partilha de sonhos, projectos e solidariedade fraterna.

Para a reactivação do T.A.I.A. – Teatro amador da Incrível Almadense – apresentei ao grupo cénico, como proposta de trabalho, a encenação da peça “As Quatro Estações” de Romeu Correia, a qual foi aceite por unanimidade. Foi em boa-hora que tal sucedeu, porquanto Romeu Correia não só foi, e continuará a ser, um dos nossos maiores dramaturgos, como também se destacou pelo empenho e dedicação que sempre votou ao movimento associativista que tem na Incrível Almadense um dos seus máximos expoentes.

Por outro lado, “As Quatro Estações” constituem um desafio interessante para qualquer encenador e/ou grupo de teatro, não só pelo número de actores – 17 personagens – como de técnicos de som e luz, figurantes, contra-regras, ponto, etc. o que perfaz uma equipa de cerca de 30 elementos.

Para uma secção de teatro que pretende renascer das cinzas e continuar seguramente o seu posterior caminho, julgo que com um grupo tão numeroso, coeso e variado de entusiastas, que ora se reuniu na Incrível, poderemos com toda a certeza garantir o futuro, como todos desejam!

António Malaquias de Lemos

O Elenco

Actores:
Avó – Conceição Magalhães Cassola
Rogério - José Ganhão
Ester – Eugénia Conceição
Jorginho – Rodrigo Manuel Francisco
Júlia – Joana Fernandes
Raúl – Henrique Santos
Procópio – Francisco Gonçalves
Elias – Raúl Fróis
Tó Chico – André Canhão
Silvia – Susana Gonçalves
Agostinho – João Luz Silva Jerónimo
Artur – Victor Manuel Almeida
Mafalda – Cristina Rodriguez
Madrinha – Maria Amélia Nobre
Alice – Cristina Azevedo
Custódia – Eugénia Maria Maia Nunes
Armando – Luis Caiola
Figurantes:
Jornalistas e Fotógrafos – Ana Carmina; Sónia Paula Grilo; Cátia Sofia; Sara Guerreiro
Encenação: Malaquias de Lemos
Caracterização: Amélia Nobre e Cristina Rodriguez

2 comentários:

Sandra disse...

Olá a todos.
Fico muito feliz que o vosso trabalho mais uma vez dá frutos.
Quando voltarem a cena digam-me alguma coisa, é com muita honra que volto à Incrivél para vos ver.
No dia 28 o Grupo de Teatro G.B. 22 de Maio volta a cena com o "Esboço do Destino", espero por vós...
Beijos para todos e em especial para a Géninha.

Sandra

Cénico Incrível Almadense disse...

Olá Sandra.

Que surpresa boa a tua visita.

Tenho estado com muito trabalho e sem tempo para nada, mas dar-te-ei notícias brevemente.

Continua o excelente trabalho que tens feito com o teu grupo e conta sempre com a solidariedade do CIA.

Saudações e abraços cénicos